Seja bem-vindo ao Giulia Be Brasil, sua primeira, maior e melhor fonte sobre a cantora e compositora brasileira, Giulia Be. Aqui você encontrará notícias sobre seus projetos, campanhas e muito mais, além de entrevistas e uma galeria repleta de fotos. Reconhecido pela Warner Music Brasil, somos um site feito por fãs, onde procuramos postar informações para outros admiradores do trabalho da cantora brasileira, além de nós. Caso reproduza alguma notícia de nosso site, nos dê os devidos créditos. Esperamos que goste de nossos conteúdos e volte sempre!
16.04

Em entrevista especial ao nosso fã site, nossa menina solta abandona um pouco o lado artista e resolve compartilhar filmes, séries e músicas para curtir nessa quarentena, também nos detalhando o motivo de cada indicação. Confira!

GBEBR: Vamos começar pelos filmes… Qual é o primeiro que você nos indica?

Giulia Be: Click (2006).

GBEBR: O porquê da escolha desse filme?

Giulia Be: É um filme extremamente bobo, mas eu reassisti outro dia e acho que ele me doeu muito mais do que quando eu era criança. Sou uma pessoa que gosta de controlar todas as circunstâncias, que sempre quer ver resultado e por conta disso muitas vezes esqueço de me apaixonar pelo processo.

O filme é um aviso das consequências de viver assim e um lembrete de aproveitar todo o dia. Nessa quarentena, ele se torna extremamente relevante pois tem sido um tempo pra desacelerar no trabalho e aproveitar para estar com minha família.

GBEBR: Qual outro filme que você indica?

Giulia Be: Qualquer filme do Baz Luhrmann! Baz é meu diretor preferido de todos os tempos. Os filmes dele são marcados por trilhas sonoras impecáveis e direção artística sem igual. Mais do que assistir um filme, é assistir um show.

Entre meus preferidos, Romeo + Julieta (1996), Moulin Rouge (2001), e O Grande Gatsby (2013). Mas, os menos conhecidos são fantásticos também. Ele é o diretor escalado para o novo filme do Elvis Presley, que lança em outubro/2021.

Giulia também adicionou outras boas recomendações de filmes:

Meia Noite em Paris (2011) – Segundo a própria, é o seu filme com o roteiro preferido de todos os tempos.

Up – Altas Aventuras (2009); Prenda-me Se For Capaz (2002); Die Welle (2008); O Grande Truque (2006), Giulia diz que esse especialmente “Abre a tua mente”.

Como a nossa menina solta também é fã de Harry Potter, é claro que ela não poderia deixar de fora a indicação dos oitos filmes da saga.


Os serviços de streaming têm feito cada vez mais parte das nossas rotinas, não somente restrito à filmes, então, se liga nessas dicas de ouro da Giulia sobre séries que você pode conferir.

GBEBR: Qual é a primeira série que você indica aos nossos seguidores?

Giulia Be: Friends (1994 – 2004).

GBEBR: Por que dessa escolha?

Giulia Be: Tem tudo no Netflix, são muitas temporadas, mas vale muito a pena. Perfeito para quando você quer ver algo bom para te deixar feliz e good vibes, sem precisar prestar muita atenção em tudo… E ao mesmo tempo, tem uma dinâmica e profundidade de cada personagem que você vai aprendendo a amar.

GBEBR: E qual próxima série que você indica? E o por que ela?

Giulia Be: Gossip Girl (2007 – 2012). Minha série preferida de todos os tempos – isso vai parecer fútil, talvez (risos) –, mas eu a acho extremamente bem feita e ela te envolve em um mundo que é tão fora da realidade, de uma maneira extremamente cativante.

Só tem gente linda, bem vestida e com um compasso moral torto. Acontece tantas coisas absurdas que é quase uma novela mexicana. Mas, acontecem de uma maneira que você nem percebe o quão absurdo é, até já estar envolvido demais na história. Eu comecei a assistir com 10 anos, então cresci investida nos romances e amizades tóxicas.

Outras indicações de séries:

Manifest (2018 – atualmente) – “Comecei a assistir e já acabei.”

The Bold Type (2017 – atualmente) – “É tipo O Diabo Veste Prada, mas atualizado para o momento que vive nossa sociedade, trata assuntos de extrema importância de uma maneira leve e legal”.

The Sinner (primeira temporada, 2017) – “Se você se considera medroso, não assista sozinha (o). Muito boa.”

Elite (2018 – atualmente) – “Série teen numa pegada até parecida com Gossip Girl, mas de novo, atualizada para a atualidade. Assista em espanhol, com legenda em espanhol e aproveita a quarentena para aprender uma nova língua!”

Game Of Thrones (2011 – 2019) – “Não tenho nem palavras para o que essa série representou na minha vida. Já matei aula para ficar numa fila online e conseguir ingresso para a exposição que veio para o Brasil, depois fugi da escola para ir para a exposição também (risos). Amo!”.

Explicando (Netflix, 2018 – atualmente) – “Cada episódio você vira expert em outra coisa. Bom demais.”

Abstrato: A Arte do Design (Netflix, 2017 – 2019) – “Eu particularmente amo o episódio da Es Devlin, mas todos são ótimos. É tipo um explicados de arte. Mais ou menos.”

The Get Down (Netflix, 2016 – 2017) – “Série daquele diretor que eu falei no filme, Baz Luhrmann. Incrível, pena que não pegou.”

Attack on Titan (2013 – atualmente) – “Anime que minha melhor amiga me mostrou. Comecei a assistir anime e esse é o próximo na minha lista, mas estou esperando para assistir com ela. Quase tudo que ela gosta é bom, então deve ser boa.”


A música é a principal arte que faz parte da carreira e da vida de Giulia. Perguntamos à ela, quais músicas ela recomenda para estar ouvindo e tornar essa quarentena mais agradável.

GBEBR: Quais são as músicas que você nos recomenda?

Giulia Be: Jorge Ben – Taj Mahal / Fio Maravilha / País Tropical (Funky Version)

GBEBR: Por que dessa música?

Giulia Be: Uma obra de arte histórica. Melhor mash – up de todos os tempos. Seis minutos e meio pra você dançar até esquecer seu nome e cantar até perder sua voz. Três histórias fantásticas contadas em três músicas incríveis! Essa música me lembra minha infância, porque apesar de terem sido lançadas nos anos 70, ela sempre tocava pela minha casa. Acho que sabia cantar, antes mesmo de saber o hino do Brasil.

GBEBR: Qual outra música você recomendaria e por que?

Giulia Be: Who’s Stopping Me – Big Sean feat. Metro Boomin.

Faixa de hip hop/rap americano, que usa um sample de Bossa Nova (Clarão da lua, Nazaré Pereira). Eu amei ver um sample de um clássico brasileiro sendo usado tão perfeitamente e de maneira inovadora num rap do Big Sean. Inesperado, mas brilhante, na minha opinião.

As demais músicas recomendadas pela Giulia, você pode conferir na playlist que montamos, disponível no Spotify:


Entrevista por: Matheus de Medeiros

Transcrição e Revisão: Elizandra Sanches e Enola Fernandes

Layout criado e desenvolvido por Lannie D
Todos os direitos reservados ao Giulia Be Brasil • Hosted by Flaunt